Caracterização Petrográfica e Litogeoquímica das Rochas Encaixantes e do Minério de Ferro da Região de Curral Novo, Piauí - Ádila Fernandes Costa (2010.2)

Banca: Profa. Dra. Maria da Glória da Silva - IGEO/UFBA - Orientadora, Prof. Dr. Aroldo Misi - IGEO/UFBA, Msc. Adalberto de Figueiredo Ribeiro - Autônomo

Resumo: As mineralizações de ferro do Alvo Massapê-Manga Velha, Distrito Ferrífero de Curral Novo, localizam-se na Província da Borborema, sudeste do Estado do Piauí, a norte do Lineamento de Pernambuco, na Subprovíncia Setentrional.
Nessa área afloram rochas metamáficas de provável idade arqueana do Complexo Granjeiro, cujos protólitos foram caracterizados como ígneos, de natureza gabróica e basáltica, de afinidade toleítica compatível com ambiente de subducção (arco vulcânico ou de bacia back-arc). Essas rochas encontram-se intrudidas por granitóides cedo, sin- e pós tectônicos, em sua maioria de idade neoproterozóica. Os metagabros e metabasaltos foram metamorfisados na fácies anfibolito e heterogeneamente afetados pela deformação cisalhante neoproterozóica. As rochas mais intensamente deformadas foram posteriormente modificadas por fluidos hidrotermais de provável assinatura granítica, ricos em H2O? , CO2, K, Si, Fe, Zn, Ca, ETRL, Zr, Th, Ta, P, B, dentre outros, tendo desenvolvido uma mineralogia hidrotermal rica em Ca-anfibólios, Fe-anfibólios, biotita, quartzo, granada, carbonato, turmalina, apatita e allanita. Tais rochas foram caracterizadas como Hidrotermalitos.
Os estudos de campo, petrográficos e litogeoquímicos mostram a existência de dois tipos de minério de ferro na área: (i) Tipo I, uma Formação Ferrífera Bandada (BIF) do tipo Algoma, que ocorre intercalada no pacote de metagabros e metabasaltos, metamorfisada na fácies anfibolito, constituída por bandas de magnetita e bandas de quartzo e anfibólio da série grunerita-cummingtonita; e (ii) Tipo II, tectono-controlado, que ocorre disseminado, lenticular, laminado, venular, brechóide, associado aos hidrotermalitos, ao longo de um trend de cerca de 30 km da zona de cisalhamento dextral Itainzinho-Baixio. Esse minério, ao qual se associam sulfetos de Cu e teores anômalos de Au, foi caracterizado como um Ironstone Hidrotermal.
O conjunto de dados, com destaque para a associação Fe-Cu-Au do minério Tipo II, permite que se sugira para este minério um modelo do tipo IOCG (Iron Oxide Copper Gold Deposits).

Palavras-chave: Província da Borborema, Complexo Granjeiro, Formações Ferríferas, Metamáficas, Hidrotermalismo.