Análise paleoclimática e paleoambiental com base em espectrometria de raios-gama das Formações Itaparica e Água Grande: implicações nas características dos reservatórios na porção nordeste da Bacia do Recôncavo. Alexandre de Jesus Pinho (2013.2)

Banca: Msc. Flávio Miranda de Oliveira - Petrobras – Orientador, Prof. Cícero da Paixão Pereira - IGEO/UFBA - Co Orientador, Profa. Dra. Olívia Maria Cordeiro de Oliveira - IGEO/UFBA, Prof. MSc. Roberto Rosa da Silva - IGEO/UFBA e Petrobras.

Resumo: Este trabalho resulta da análise sedimentológica e interpretação paleoambiental das formações Itaparica e Água Grande que ocorrem no Compartimento Nordeste da Bacia do Recôncavo. O estudo foi embasado em 91 metros de amostras de testemunhos de dois poços perfurados na área. A abordagem paleoclimática do intervalo observou a quantificação dos elementos K, U e Th presentes na seção investigada.A descrição sedimentológica e estratigráfica identificou 15 litofácies agrupadas em quatro associações de fácies genéticas: lacustre, fluvial meandrante, fluvial efêmero e eólico. A organização na sucessão vertical desse conjunto de fácies assinalou nos dois poços um ciclo basal de aridização-umidificação ascendente e, em direção ao topo do intervalo, um ciclo de aridização ascendente.A partir dos perfis geofísicos de raios-gama espectrais foram criados modelos paleoclimáticos que tiveram uma boa correspondência com a análise sedimentológica e estratigráfica.A positiva correlação dos modelos propostos sugere que as razões Th/K e Th/U podem ser usadas como indicadores paleoclimáticos em seções que sofreram forte influência climática.

Palavras chave: Bacia do Recôncavo; Formações Itaparica e Água Grande; raios-gama espectrais; indicadores paleoclimáticos.