Hidrocarbonetos saturados em sedimentos da zona intermareal na Baía de Todos os Santos - Bahia. - Carine Santana Silva (2011.1)

Banca: Prof. Dr. Antônio Fernando de Souza Queiroz - IGEO/UFBA - Orientador, Pra. Dra. Karina Santos Garcia - Co-Orientadora - IGEO/UFBA, Pra. Dra. Olívia Maria Cordeiro de Oliveira - IGEO/UFBA, Pr. Dr. Jorge Alberto Triguis - IGEO/UFBA

Resumo: A determinação da fonte, transporte e destino de matéria orgânica em ambientes aquáticos frequentemente tem sido vinculada a parâmetros de correlação geoquímica que comparam a abundância relativa de compostos que podem ser associados a fontes naturais ou antrópicas. A existência de diversos sistemas estuarinos na Baía de Todos os Santos (BTS) com regimes hidrológicos e sedimentares próprios, a variabilidade de ecossistemas encontrados e a série de empreendimentos que envolvem a BTS determinam uma possibilidade múltipla de fontes de matéria orgânica. Assim, o objetivo deste estudo foi utilizar hidrocarbonetos saturados alifáticos (alcanos normais e isoprenóides) para identificar e avaliar a distribuição da contaminação de origem petrolífera na zona intermareal da BTS, caracterizando do ponto de vista sedimentológico e físico-químico a área de estudo e, com base nesses aspectos, promover a discussão dos fatores que contribuem para modificação da distribuição e concentração desses compostos. Foram coletadas ao longo de estações (SFC, MA, MD, FA, CA e IG), 32 amostras de sedimento superficial na zona intermareal da BTS, sendo Iguape (IG) considerada como a estação controle. A identificação e quantificação dos hidrocarbonetos saturados alifáticos foi feita por cromatógrafo a gás acoplado a um detector de ionização de chama (GC-FID). A análise granulométrica mostrou a predominância de sedimentos finos em Iguape (IG) associada também aos maiores percentuais de carbono e nitrogênio orgânico. A natureza do nitrogênio presente no substrato se mostrou predominantemente orgânica, havendo, todavia, regiões como aquelas das estações SFC e CA onde são detectados resíduos de nitrogênio inorgânico resultante de aporte de efluentes domésticos. Embora tenha sido detectada a presença de n-alcanos de fontes antrópicas, a introdução biogênica, representados pelas cadeias de carbono ímpares n-C27, n-C29, n-C31 e n-C33 e, em alguns casos, por n-C17 (algas), permanece como um importante componente nas concentrações de n-alcanos totais na área de estudo. Essas contribuições estão associadas à presença de manguezais e a contribuição difusa de diversos rios e canais. Foi possível também com base em uma série de parâmetros geoquímicos identificar áreas pontuais nas estações MD, MA, SFC, FA e CA com presença de aporte de hidrocarbonetos associados a fontes petrogênicas, por vezes associada a uma degradação significativa desses compostos. A estação controle IG foi a área mais preservada, onde os aportes de hidrocarbonetos naturais, sobretudo de origem continental, são mais significativos.

Palavras chave: Alcanos normais, isoprenoides, petróleo, hidrocarbonetos.

-- IsabelBarros - 14 Jul 2013