Características geológica e hidrogeológica de uma área de conformação dômica, em rochas sedimentares da porção oriental da Bacia do Recôncavo Norte, Dias D'Ávila, BA. - Carlos Antônio São Pedro Cruz Júnior (2012.1)

Banca: Prof. Msc. Hailton Mello da Silva - IGEO/UFBA - Orientador, Dra. Joana Angélica Guimarães Cruz - UFBA, Geólogo Gedison Marques Vilela - CETREL

Resumo: A demanda de água na Bacia Sedimentar do Recôncavo Norte tem se intensificado nos últimos anos, tanto pelo aumento da população quanto pela necessidade das indústrias ali instaladas. Isto tem levado os órgãos gestores da água naquela região à busca de novos setores desta bacia que possam dar suporte à esta demanda crescente. A existência de uma área de conformação dômica, no extremo leste da bacia, se configurou como um possível alvo para exploração. No entanto, sua forma deixava dúvidas sobre a sua potencialidade hídrica, pois poderia ser um diápiro de argila, comum nesta bacia, tornando inviável a sua exploração para água subterrânea. Desta forma, nosso trabalho se constituiu em, através de estudos geológico e hidrogeológico, definir a constituição litológica desta área, caracterizando-a, ou não, como um possível aquifero produtor. Os trabalhos de campo realizados foram decisivos para determinar que a forma dômica da área se deve à uma série de falhamentos, de direção geral NE-SW, possivelmante reativados durante a deposição da Formação São Sebastião, principal aquifero desta bacia sedimentar, durante a subsidência no estágio sin-rift da bacia. Trabalhos geofísicos anteriores realizados na área, definiram que, os arenitos do membro Rio Joanes da Formação São Sebastião, apresentam uma espessura variável entre 200 e 400 metros, até atingir uma expressiva camada de folhelhos desta mesma Formação, constituindo-se, desta forma, em um importante aquifero livre. Do mesmo modo, um poço tubular existente na área, com profundidade de 104 metros, produz água de qualidade, com uma vazão de 18 m3/h. Esta água é suficiente para atender as necessidades da população ribeirinha. Consideramos entretanto que, a maiores profundidades, poder-se-ia obter maiores vazões. Estas evidências nos levam a concluir que, esta área se constitui em um potencial reservatório livre de água subterrânea, dada à expessura média dos arenitos do Membro Rio Joanes, sendo também uma possível área para exploração de um aquifero confinado, abaixo da camada de argila detectada pelo método geofísico. Por outro lado a existencia dos falhamentos que dão forma dômica à area, poderiam sugerir um selamento do aquifero, aumentando o seu potencial hídrico.

Palavras-chave: Aquifero, Estrutura dômica, Abastecimento de água.

-- IsabelBarros - 29 Aug 2012