Geologia e arcabouço estrutural da região à suldoeste da mina Fazenda Brasileiro com ênfase na mineralização aurífera greenstone belt do Rio Itapicuru – Barrocas/BA - Cristiano Ricardo De Sales Müller (2007)

Banca: Dra. Simone Cerqueira Pereira Cruz – IGEO/UFBA - Orientadora, Dra. Ângela Beatriz de Menezes Leal – IGEO/UFBA, M.Sc. Mauricio Góes Souza - Yamana Gold Inc.

Resumo: O Greenstone Belt do Itapicuru representa uma seqüência vulcanossedimentar paleoproterozóica que está situado no Bloco Serrinha, na porção nordeste do Cráton do São Francisco. Esta megaestrutura aloja um dos mais importantes depósitos de ouro do Estado d a Bahia. O objetivo deste Trabalho foi realizar integrações de dados geológico, geofísico e geoquímico com vistas a selecionar áreas favoráveis para a pesquisa de detalhe para ouro. Como metodologia, foram realizadas interpretações de dados geofísicos, geoquímicos e de sensoriamento remoto, estudos bibliográficos, trabalhos de campo e estudos petrológicos. Os levantamentos realizados levou à identificação de rochas relacionadas a quatro domínios litológicos: metavulcânicas máficas, metavulcânicas félsicas, metassedimentos e granitóide . De uma maneira geral, as unidades vulcanossedimentares apresentam-se intensamente de formadas, dificultando o reconhecimento do protólito ígneo. O arcabouço estrutural levantado revelou a existência de duas famílias de estruturas, compressional e distensional. A família compressional é marcada por estruturas das fases Fn - 1, Fn e Fn+1. As duas primeiras estão marcadas por foliações miloníticas , lineações de estiramento e indicadores cinemáticos, que, em conjunto, sugerem movimentos de SE para NW. Na fase Fn+1, um corredor transpressional sinistral a sinistral reverso é gerado, sendo este responsável pela rotação de elementos da trama Fn . As tensões principais máximas posicionaram-se segundo N-S. A família distensional é marcada por lineações de crenulação e falhas normais. As paragêneses minerais sugerema existência de um evento metamórfico as sociado com alteração hidrotermal (clorita, quartzo, actinolita, carbonato, epidoto). Metamorfismo dínamotermal também foi interpretado, com paragênes e mineral constituída por quartzo e biotita. As integrações geológico-geoquímica-geofísica sugerem uma área localizada na parte central da área como favorável para a acumulação d e ouro . Os indícios geológicos identificados sugerem que as estruturas Fn - 1 / / Fn foram as principais acumuladores de ouro na área de trabalho.