Distribuição e concentração de ouro nas litologias da porção sul do greenstone belt do Rio Itapicuru – Bahia. Daniel Mendonça Rodrigues (2013.1)

Banca: Prof. Dr. José Haroldo da Silva Sá - IGEO/UFBA – Orientador, Prof. Pedro Maciel de Paula Garcia - IGEO/UFBA, Geólogo Thiago Novais Xavier Souza - Yamana Gold.

Resumo: O “greenstone belt” do rio Itapicuru está situado no nordeste da Bahia, inserido no contexto tectônico do Cráton do São Francisco, sobreposto ao arcabouço de para-ortognaisses e migmatitos arqueanos com idade de 2,9 Ga do bloco Serrinha. De modo geral, o “greenstone belt” do rio Itapicuru apresenta-se metamorfisado na facies xisto verde a anfibolito e é composto pelos domínios metavulcânico máfico, metavulcânico félsico, metassedimentar e granitoides intrudidos nas sequências vulcanossedimentares. Datações foram realizadas e obtiveram idades de 2,2 Ga para os metabasaltos do domínio metavulcânico máfico e 2,1 Ga para os metandesitos do domínio metavulcânico félsico. A porção sul do “greenstone belt” do rio Itapicuru foi o enfoque do presente estudo que visa identificar a(s) rocha(s) fonte(s) mais prováveis do ouro na área, onde encontram-se metabasaltos do domínio metavulcânico máfico, metandesitos do domínio metavulcânico félsico, formações ferríferas, xistos e metapelitos do domínio metassedimentar e os granitoides Salgadália, Barrocas e Teofilândia. A área apresenta um “trend” E-W, com os flancos dos sinclinais e anticlinais mergulhando para N e S. Dados geoquímicos foram obtidos de todas essas litologias e analisado a distribuição e concentração de ouro, cobre e arsênio. Desde a década de 70 estudos realizados na sequência vulcanossedimentar comprovaram que ela tem grande potencialidade para mineralização de ouro. Atualmente a mina Fazenda Brasileiro da Yamana está inserida na área estudada e explota ouro. Essa mineralização aurífera está situada em uma zona de cisalhamento nomeada como Faixa “Weber” na qual a mineralização é fortemente controlada pela estrutura e pelas rochas encaixantes Análises geoquímicas e petrográficas foram realizadas em todas as litologias da porção sul do “greenstone belt” do rio Itapicuru indicaram concentrações de ouro relativamente anômalos nas sequencias supracrustais, com destaque para as metavulcanicas félsicas e os metassedimentos. Observou-se também uma correlação positiva dos valores de ouro e arsênio nas rochas analisadas.

Palavras-chave: ouro, concentração, greenstone.