Petrografia do Granitóide Broco: evidência de fusão crustal no Greenstone Belt Ibitira-Ubiraçaba, Ibiassucê, Bahia - Dante da Silva Palmeira (2010.2)

Banca: Profa. Dra. Simone Cerqueira Pereira Cruz - IGEO/UFBA - Orientadora, Profa. Dra. Angela Beatriz de Menezes Leal - IGEO/UFBA - Co-orientadora, Geólogo Jofre de Oliveira Borges - IGEO/UFBA, Msc. Violeta de Souza Martins Borges - CPRM

Resumo: A área de estudo localiza-se nas cercanias da cidade de Ibiassuçê, na região centro-oeste do Estado da Bahia. Do ponto de vista tectônico, posiciona-se no Bloco Gavião, na porção nordeste do Cráton do São Francisco tendo como rocha encaixantes rochas metapelíticas do Greenstone Belt Ibitira Ubiraçaba. Essas rochas estão truncadas pela zona de cisalhamento Iguatemi, que é uma das estruturas arqueanas que foram reativadas durante a evolução do Corredor do Paramirim. Nesta área foi encontrado granitóide tipo S nunca antes relatado na literatura, cujas relações de campo sugerem que se tratam de produtos da fusão de metassedimentos do greenstone citado, o qual foi denominado de Granitóide Broco. O mapeamento geológico deste corpo e de suas encaixantes imediatas, assim como a identificação da mineralogia, texturas e aspectos deformacionais presentes nele são os objetivos deste trabalho. Como método de trabalhou realizou-se o levantamento bibliográfico, visita de campo para aquisição de dados e contextualização do corpo, além de um estudo petrográfico e microestrutural para a identificação as suas características. O estudo feito determinou que o protólito deste corpo é um sienogranito e identificou duas tectonofácies: (i) baixa deformação, que é caracterizado pelo isotropismo e pela preservação das estruturas ígneas do protólito; (ii) média à alta deformação, que se caracteriza pela presença de foliação e pelo desenvolvimento expressivo de uma trama granoblástica, milonítica e porfiroclástica. Em ambas as tectonofácies, a substituição do k-feldspato por mica branca e do plagioclásio pela mica branca e epídoto sugerem a presença de reações retrometamórficas. A evolução deste corpo esteve ligado a um processo de fusão dos metapelitos, com a geração de uma rocha sienogranítica com granada e biotita que posteriormente foi submetida à deformação na fácies anfibolito e em seguida em fácies xisto verde (retrometamorfismo), neste caso marcado pela geração de mica branca e epídoto.

Palavras-Chaves: Granitos tipo-S, kinzigito, zona de cisalhamento, greenstone belt, mapeamento, anatexia.