Estudo comparativo das características geomorfológicas e preenchimento sedimentar de seis grande estuários brasileiros. - Felipe Moraes Santos (2009.2)

Banca: Prof. Dr. Carlos Alessandre Domingos Lentini - IF/UFBA - Orientador, Prof. Dr. Guilherme Camargo Lessa - IGEO/UFBA - Co-Orientador, Dr. Fernando Genz - ENG/UFBA, Prof. Dr. Ruy Kenji Papa de Kikuchi - IGEO/UFBA

Resumo: A costa brasileira foi exposta a uma regressão da ordem de 3,5 m nos últimos 6.000 anos e apresenta assim ampla evidência de progradação costeira e estuários extintos junto a desembocaduras fluviais. No entanto, na costa leste brasileira existem ainda 18 grandes estuários, com área superior a 50 km2 e a persistência destas feições em regime de nível de mar regressivo é fato, no mínimo, curioso. Poucos destes estuários têm alguma informação estratigráfica, batimétricas e taxas de sedimentação e/ou vazões sólidas disponíveis, de modo que a avaliação do estágio de preenchimento sedimentar da maior parte deles ainda não pode ser feita adequadamente. Este trabalho tem como objetivo avaliar o grau de preenchimento sedimentar de 6 estuários da costa leste brasileira (baías de Todos os Santos (BTS), Paranaguá, Sepetiba, Guanabara, Camamu e Vitória) com mapeamento batimétrico disponível e para os quais o cálculo do seus volumes e das taxas de sedimentação no Holoceno Superior são possíveis de serem feitas. O mapeamento geomorfológico dos estuários foi feito a partir de sensores orbitais e imagens de radar, enquanto o cálculo dos volumes e descargas fluviais foram feitos a partir de dados disponíveis na literatura. As descargas sólidas foram calculadas a partir de uma equação empírica de produção de sedimentos e as taxas de sedimentação estimadas com base em valores aproximados da densidade dos sedimentos. As taxas de sedimentação tenderam a apresentar relação direta e inversamente proporcional com as profundidades médias dos estuários, com as maiores taxas de sedimentação correspondendo a menores profundidades. Exceção ocorreu nas baías de Camamu e de Todos os Santos, onde as profundidades médias são respectivamente muito maiores e menores que o esperado. Estas discrepâncias podem estar associadas a questões estruturais como geometria do paleovale e movimentos tectônicos, e/ou à produção de sedimentos autóctones.

Palavras chave: Estuário, geomorfologia, descarga sedimentar.

-- IsabelBarros - 18 Jul 2013