Avaliação do impacto da Assimilação de dados altimétricos no modelo oceânico HYCOM sobre o Atlântico Sul. - Filipe Bitencourt Costa (2010.2)

Banca: Prof. Dr. Clemente Augusto Souza Tanajura - IF/UFBA - Orientador, Prof. Dr. Renato Ramos da Silva - IF/UFBA - Co- Orienteador, Profa. Dra. Hebe Queiroz - IF/UFBA, Pr. Dr. Carlos Alessandre domingos Lentini - IF/UFBA

Resumo: O impacto da assimilação da anomalia da altura da superfície do mar (AASM) e do esquema de Cooper e Haines (1996) (C&H) no modelo oceânico Hybrid Coordinate Ocean Model (HYCOM) sobre a METAREA V do Oceano Atlântico foi nvestigado neste trabalho. Duas simulações foram realizadas de 1 de julho de 2009 a 31 de dezembro de 2009, uma de controle sem assimilação e outra com assimilação chamada de experimento. As simulações partiram da mesma condição inicial e usaram os mesmos forçantes das re- análises do National Centers for Environmental Prediction (NCEP). No experimento, dados de AASM ao longo da trilha dos satélites Jason 1 e Jason 2 foram assimilados por um método de interpolação ótima (OI) para gerar uma análise de AASM. Essa foi somada à altura da superfície do mar (ASM) média do modelo para produzir um novo campo ASM, que foi passado para o método de C&H alterar as espessuras das camadas do modelo e construir a nova condição inicial do modelo para servir a um novo ciclo de simulação e assimilação.
Os resultados foram comparados com dados observados in situ de temperatura e salinidade de perfiladores ARGO, com campos de AASM do Archivage, Validation et Interprétation des données des Satellites Océanographiques (AVISO) e com análises do HYCOM/NCODA. Reduções significativas no erro da AASM foram obtidas, inclusive em regiões de forte gradiente. Ainda, o campo de AASM se assemelhou ao do HYCOM/NCODA. A bifurcação da Corrente Sul Equatorial (BICSE) no experimento se deslocou em 6° para o norte, localizando-se em 11° próximo do descrito na literatura. A intensidade e padrão das Correntes de Contorno Oeste e o transporte de volume da Corrente do Brasil se aproximaram do HYCOM/NCODA e do descrito na literatura. O erro da temperatura potencial em relação a dados in situ apresentou uma redução com o experimento, entretanto, verificou-se uma oscilação de baixa freqüência. O erro da salinidade aumentou para o experimento, porém em magnitude pouco significativa. Os gradientes verticais nas regiões da termoclina e haloclina ficaram mais acurados. Entretanto, diagramas T-S em alguns pontos mostraram que em geral não houve diferenças significativas entre as simulações das massas d’água. A assimilação de AASM e o emprego do C&H provocaram um impacto significativo e positivo na simulação. Contudo, essa abordagem ainda não foi suficiente para restringir a estrutura termohalina da METAREA V, indicando a necessidade da assimilação conjunta de AASM com de perfis verticais de temperatura e salinidade.

Palavras chave: Zooplâncton; composição; variabilidade temporal, metais pesados.

-- IsabelBarros - 18 Jun 2013