Estudo da composição dos clastos do conglomerado do membro lavras na região de Lençóis, Chapada Diamantina, Bahia - Nara Gomes de Araújo Góes (2007)

Banca: Dr. Antonio Campos Magalhães - Orientador, Prof. Dr. Cícero da Paixão Pereira - Co-Orientador

Resumo: A área de estudo localiza-se na Chapada Diamantina na porção central do Estado da Bahia, no entorno da cidade de Lençóis, que por vez, está inserida no Cráton São Francisco (CSF; Almeida,1977). O CSF representa a parte em que o substrato de rochas cristalinas com idade superior a 1.8 Ga, não foram envolvidas nas deformações do Ciclo Brasiliano. A cidade de Lençóis foi fundada em 1845, em conseqüência da descoberta dos diamantes que foi de brande importância econômica no século passado, hoje em declínio, com a queda da produção, mas que ainda dura nos dias atuais. No entanto, o forte da economia da cidade hoje é o turismo oferecendo belas cachoeiras, paisagens e trilhas para seus visitantes. O membro Lavras objeto de estudo desse trabalho, ocorre no topo da Formação Tombador, sendo representado por depósitos de leques aluviais e é considerado o depósito do tipo secundário das mineralizações diamantíferas. Este estudo objetiva analisar e representar o percentual da composição dos clastos do Membro Lavras, classificando-os em extraclastos (oriundos da Cordilheira Jacobina/Contendas-Mirante) e intraclastos provenientes da própria bacia. O estudo foi realizado com a descrição e contagem dos clastos em 25 afloramentos ao longo do Rio Lençóis. Cada ponto amostrado foi fotografado e levantadas as suas coordenadas e altitude. O caminhamento foi realizado de forma a amostrar pontos do topo para a base na estratigrafia das camadas de conglomerado. Através dos resultados obtidos com a descrição da composição dos clastos foi possível traçar uma curva de tendência da freqüência dos intraclastos, comprovando-se que existe a tendência de aumento da quantidade dos intraclastos na madida em que se desce na estratigrafia. Desta forma fortalece-se a hipótese do avanço da fonte dos conglomerados no sentido leste para oeste, o que pode evidenciar um avanço de uma orogênese no mesmo sentido.