Análise da atividade aquícola em unidades familiares no complexo estuarino-insular de tinharé-boipeba a partir da revisão histórica das iniciativas de aquicultura realizadas na região. - Natália Ferraz Bastos (2009.1)

Banca: Prof. Dr. Miguel da Costa Accioly - IBIO/UFBA - Orientador, Prof. Dr. Ricardo Castelo Branco Albinati - MEV/UFBA, Prof. Dr. Ronan Rebouças Caires Brito - IBIO/UFBA

Resumo: Num país marcado por um processo histórico no qual as elites fundamentaram as suas riquezas na posse e concentração de terras, é urgente a busca por alternativas que almejem modificar as condições atuais em que vive a maioria dos trabalhadores rurais no Brasil. A aquicultura familiar surge como alternativa viável e promissora, sobretudo para as comunidades pesqueiras tradicionais que sofrem com os efeitos da estrutura fundiária concentrada por poucos e também pelas questões ambientais (defeso reprodutivo de espécies marinhas, desastres ambientais, sobrepesca, dentre outros), as quais limitam a utilização dos recursos como fonte de sustento e renda que garanta a essas populações condições de vida mais digna. Essa pesquisa busca avaliar iniciativas de fomento à aquicultura familiar desenvolvidas por projetos vinculados ao Estado, universidades e iniciativas privadas, no Complexo Estuarino-Insular de Tinharé-Boipeba, analisando-os quanto às suas potencialidades socioambientais. As atenções dessa pesquisa recaem sobre os ambientes físicos nos quais estes projetos foram implantados bem como sobre as relações desenvolvidas entre os projetos e as comunidades. Para o diagnóstico das relações entre projetos e comunidades, a pesquisa se apóia nos conceitos de Estado Mínimo, Matrizes de Racionalidade, além das Horizontalidades e Verticalidades, verificando assim que os projetos estudados proporcionaram poucos resultados materiais duradouros. Em relação à análise física do ambiente constatou-se que nenhum dos projetos realizou diagnósticos ambientais prévios à escolha das comunidades, o que em alguns casos ocasionou prejuízos produtivos. Os dados acerca da qualidade da água da região são insuficientes e não permitem afirmar sobre o potencial deste ambiente para a produção aquícola, porém algumas condições avaliadas como temperatura, oxigênio dissolvido e pH se mostraram adequadas para os cultivos implantados na região. Dentro deste contexto inúmeros desafios são evidenciados, porém junto a estes surgem perspectivas da superação de uma realidade excludente e alienante.

Palavras chave: Aquicultura familiar, comunidade pesqueira, qualidade da água, Tinharé-Boipeba.

-- IsabelBarros - 18 Jul 2013