Apresentação

A oceanografia é a ciência que tem como alvo investigar e analisar os mais diversos fenômenos relacionados aos mares, oceanos e zonas costeiras, abrangendo os aspectos biológicos, físicos, químicos e geológicos destes ambientes. Tem também como finalidade o estudo dos impactos antrópicos no ambiente marinho, colaborando para um aproveitamento criterioso dos recursos existentes.
A zona costeira do Estado da Bahia é a mais extensa do Brasil, apresentando uma grande variedade de ecossistemas e ambientes de sedimentação incluindo os mais importantes edifícios coralíneos do Atlântico Sul e a segunda maior baía do Brasil, a Baía de Todos os Santos. Frente a tamanha diversidade de ambientes marinhos e oportunidade de pesquisa, vários grupos de pesquisadores lotados nos Intitutos de Química, Geologia, Biologia e Física, iniciaram atividades de pesquisa relacionadas à oceanografia. Desta forma, até o momento existiram diversos grupos dedicados à pesquisa no ambiente marinho trabalhando de forma independente ou com pouca interação. Esta comunidade acadêmica está agora se mobilizando na tentativa de estruturar um curso de graduação em oceanografia com o intuito de melhor aproveitar a estrutura da universidade e oferecer novas perspectivas de formação profissional para a população não apenas do Estado, mas de toda a região nordeste, onde cursos de graduação em oceanografia são inexistentes.
O dinamismo da pesquisa oceanográfica na UFBA pode ser medido pela participação de docentes em programas governamentais de âmbito nacional voltados à oceanografia. Como exemplo, cita-se o programa REVIZEE, coordenado pelo Ministério do Meio Ambiente (MME) e Secretaria Interministerial de Recursos do Mar (CIRM), que conta com a participação de vários pesquisadores da UFBA, detendo inclusive coordenação regional. A penetração de pesquisadores da UFBA no cenário oceanográfico do país pode ainda ser observada na sua participação ativa no Comitê Assessor de Oceanografia do CNPq e em programas internacionais de oceanografia.
Dado o impulso recente das atividades extrativistas no ambiente marinho, a necessidade de um melhor conhecimento e caracterização da Zona Econômica Exclusiva (ZEE), a urbanização acelerada do litoral, a procura de novos recursos naturais, o incremento das preocupações ambientais, e a crescente demanda de profissionais qualificados nesta área, o oceanógrafo conta com um promissor mercado de trabalho. Este mercado é um dos fatores que influenciam na escolha de uma profissão, e a oceanografia está em plena expansão no país. Dentre as instituições ou empresas contratantes responsáveis pela absorção do oceanógrafo incluem-se: i) empresas ou centros de pesquisa que atuam na preservação de espécies em extinção e de ecossistemas agredidos pela ação antrópica, ii) empresas de consultoria técnica e ambiental, iii) empresas do setor pesqueiro, seja na prospecção, produção ou beneficiamento de pescado, iv) empresas de aqüicultura e maricultura; v) empresas de saneamento e abastecimento de água, exploração e desenvolvimento turístico, planejamento territorial e de exploração de petróleo e gás natural.

Objetivos


O curso proposto pela UFBA tem o objetivo de utilizar a infra-estrutura material e de pessoal da universidade para a formação de profissionais com ampla compreensão dos processos e particularidades do ambiente marinho. O curso almeja dinamizar a interação entre as diversas unidades de ensino que lidam com a pesquisa oceanográfica, e oferecer um canal adequado para formação de estudantes interessados na ciência oceanográfica. Estes estudantes encontram-se hoje isolados em vários institutos onde a oceanografia é tratada de forma parcial, associada ao universo biológico, geológico/geomorfológico ou químico, gerando assim uma compreensão limitada do meio marinho.
A existência de cursos de graduação em oceanografia quase que exclusivamente nas regiões sul e sudeste permite apenas aos residentes da região nordeste com maior poder aquisitivo a possibilidade de formação nesta área. Aos demais interessados resta a matricula nos cursos regulares de Biologia, Geologia, Química, Física ou Geografia, onde existe certa interação com a oceanografia. Sendo assim, a estruturação da graduação em oceanografia na UFBA, oferecerá a oportunidade de formação oceanográfica a um número maior de candidatos da região.
Devido à existência de um número limitado de oceanógrafos atuando na região, e a tendência introspectiva da comunidade acadêmica, a qual afeta a disseminação do seu potencial para realização de atividades oceanográficas, a grande maioria dos projetos oceanográficos na região é entregue a firmas e universidades do sul e sudeste. Desta prática decorrem três efeitos deletérios: a diminuição do potencial de recursos financeiros a serem aplicados na infra-estrutura laboratorial da UFBA, a evasão de dados primários junto à compreensão dos fenômenos locais e a diminuição das oportunidades de formação e treinamento de pessoal local. O projeto do curso de oceanografia tem assim, como mais um objetivo, a disseminação da capacidade de pesquisa oceanográfica local junto aos orgãos públicos e as empresas privadas, e a abertura de oportunidades de realização de projetos que permitam a complementação da formação estudantil.

-- EdlaAraujo - 12 Nov 2009