Geologia e Litogeoquímica do Sill do Rio Jacaré - Ramille Daniele Pinto Raimundo (2008.1)

Banca: Prof. Dr. Johildo Salomão F. Barbosa - IGEO/UFBA - Orientador, Profa. Dra. Ângela Beatriz de Menezes Leal - IGEO/UFBA, Geólogo Israel Fernando de B. Nonato - Largo Mineração Ltda

Resumo: O Sill do Rio Jacaré, localizado no centro-leste do estado da Bahia, caracteriza-se como uma intrusão máfica-ultramáfica acamadada. Faz contato a Leste com as rochas do Bloco Jequié e a oeste com o Greenstone Belt de Contendas-Mirante. Foram estudadas as rochas metamórficas encaixantes do Sill e o corpo máficoultramáfico propriamente dito, sobretudo nos alvos Fazenda Gulçari A e Fazenda Novo Amparo, utilizado como base, dados geoquímico de trabalhos anteriores e aqueles fornecidos pela Largo Mineração LTDA. Os litotipos identificados no Sill foram, da base para o topo: meta-piroxenito, meta-magnetita-piroxenito, metamagnetitito, meta-gabro de leste e meta-anortosito. Com relação aos meta-gabros que ocorrem no lado oeste, a geologia de campo e os dados geoquímicos, sobretudo ao Elementos Terras Raras sugerem que eles não fazem parte do Sill. Todas estão deformadas segundo o “trend” regional N10ºE e reequilíbradas na fácies anfibolito. Os meta-magnetititos do alvo Fazenda Gulçari A são os portadores de importante reserva em teor médio de magnetita vanadífera do Sill. A geoquímica demonstra que o magma que originou as litologias do Sill do Rio Jacaré, era muito enriquecido em ferro e empobrecido em magnésio, tratando-se de um magma toleiítico bastante diferenciado. Em comparação com as rochas da intrusão acamadada de Skaegaard o Sill do Rio Jacaré apresentou trends similares.