Mapeamento Geológico e análise estrutual multiescalar da porção Sul do Domo de Salgadália, Greenstone Belt do Rio Itapicuru, Bahia - Rodrigo Martins Menezes (2008.1)

Banca: Profa. Dra. Simone Cerqueira Pereira Cruz - UFBA - Orientadora, Profa. Dra. Maria da Glória Silva - IGEO/UFBA, Geólogo Adriano Alberto M. Martins - CPRM

Resumo: O Greenstone Belt do Rio Itapicuru (GBRI) é uma seqüência metavulcanossedimentar paleoproterozóica localizada no nordeste do Cráton do São Francisco (CSF). O trabalho teve como objetivo o mapeamento geológico em escala de detalhe (1:10.000) da porção sul do Domo de Salgadália. O método de trabalho envolveu pesquisa bibliográfica, sensoriamento remoto, compilação de dados aerogeofísicos, mapeamento geológico básico, petrografia (clássica e microestrutural) e análise estrutural multiescalar. O embasamento da área é formado por gnaisses miloníticos e metapelitos miloníticos do Complexo Santa Luz, sobrepostos às rochas supracrustais do GBRI: i) metabasaltos, ii) metavulcânicas félsicas e iii) metassedimentos. Essa seqüência supracrustal foi intrudida por um magnetita-biotita granodiorito que foi subdividido em três tectonofácies relacionadas com a intensidade de deformação, são elas: granodiorito ultramilonítico, granodiorito augen milonítico e granodiorito augen milonítico rico em biotita. Algumas rochas de posicionamento duvidoso foram encontradas, quais sejam, migmatitos inseridos nos Granodioritos Salgadália, enclaves anfibolíticos, tonalitos/thondjemitos miloníticos e monzogranodioritos miloníticos. Tais migmatitos podem representar xenólitos do embasamento relictos dos processos de fusão ou até regiões do corpo que chegaram a migmatizar. Toda essa seqüência de rochas apresenta uma estruturação geral meridiana antiformal dômica com dobras assimétricas com vergência centrípeta na qual os granodioritos Salgadália encontram-se no eixo. O Domo de Salgadália está posicionado na transição entre dois setores regionais distintos. O primeiro é marcado por um conjunto de feições estruturais com orientação geral segundo ENE-WSW, com movimentos, em geral, dextral-reverso a reverso-sinistral, ao passo que o segundo compreende um conjunto de estruturas submeridianas, em que predominam movimento sinistral-reverso. Tais domínios são cronocorrelatos e foram interpretados como produtos de uma competição entre a tectônica regional do Orógeno Salvador-Curaçá e a tectônica local de domos do GBRI. Três fases deformacionais foram identificadas, denominadas Fn-1, marcada por uma superfície Sn-1, Fn, que representa a fase deformacional dominante associada com a colocação do granodiorito e com a geração de foliação milonítica, lineação de estiramento, duplexes, rampas de empurrão e veios de quartzo e calcita. Esse conjunto de estruturas está associado com campo compressional, cuja vergência é centrífuga em direção ao eixo do Domo de Salgadália. O estudo petrológico permitiu verificar que o grau metamórfico diminui centrifugamente a partir dos granodioritos Salgadália, desde a fácies anfibolito até xisto-verde. Nos extremos oeste e sul o metamorfismo volta aumentar para anfibolito nas rochas do Complexo Santa Luz. Este evento metamórfico principal está associado com processos de recristalização de feldspatos, que necessitam de condições mínimas de 550oC. Por ultimo ocorreu um evento metamórfico-hidrotermal incipiente que afeta as rochas da área formando reações de hidrólise dos feldspatos e cloritização das hornblendas, biotitas e magnetitas.

Palavras-chave: Greenstone Belt do Rio Itapicuru, mapeamento geológico, análise estrutural, Domo de Salgadália, geologia da Bahia.