Projeto carvão no Alto Solimões: uma experiência de dados analógicos de sondagens exploratórias para carvão em uma base de dados digitais - Thiene dos Santos Serra (2010.2)

Banca: Dr. Ricardo da Cunha Lopes - CPRM - Orientador, Prof. Msc. Danilo Heitor Caires Tinoco Bisneto - IGEO/UFBA, Geólogo Eduardo Moussalle Grissolia - CPRM

Resumo: O carvão mineral é de grande importância econômica para o Brasil. Combustível fóssil sólido, o carvão é formado por matéria orgânica vegetal depositada em bacias sedimentares, onde sofreu ação da temperatura, pressão (por soterramento) e perda de oxigênio, ocasionando um enriquecimento em carbono, este recurso energético, constitui um bem mineral de grande interesse econômico, visto que a relação tempo/custo para a instalação de uma usina termoelétrica é bem menor, comparando-se os mesmos parâmetros, para a instalação de uma usina hidrelétrica. O carvão foi usado como principal fonte energética por décadas, não somente forneceu a energia que abasteceu toda a Revolução Industrial no século XIX, como também foi a mola propulsora da era da eletricidade do século XX. Atualmente aproximadamente 28% da eletricidade gerada mundialmente é produzida através do carvão mineral. Países da América do Sul, Dinamarca, China, Grécia, Alemanha e Estados Unidos tem nesse combustível uma importante fonte de energia. Na década de 70, o mundo passou pela denominada "crise do petróleo", países da Organização dos Países Exportadores de Petróleo (OPEP) aumentaram o preço dos barris, este aumento chegou a quatro vezes o preço normal, e no Brasil autoridades políticas determinaram que os órgãos responsáveis pela pesquisa mineral no país, Serviço Geológico do Brasil (CPRM) e Departamento Nacional de Produção Mineral DNPM, realizassem estudos de outras fontes de energia viáveis, e campanhas por quase todo o país foram feitas no âmbito de explorar os possíveis depósitos de carvão. Dentre os trabalhos desenvolvidos, está o Projeto Carvão no Alto Solimões que foi executado nos anos de 1975 a 1977, no Alto Solimões, região incluída em uma bacia paleozóica intracratônica, Bacia do Solimões, que conta com cerca de 440.000 km2 de área total. Este trabalho de monografia final de curso (TFG) utilizará dados do referido projeto, convertendo - os do meio analógico para a plataforma digital, de forma que possam ser utilizados no meio geocientífico, já que estes constam até então inéditos. Para tanto faremos a recuperação das imagens Raster e/ou JPEG; Composição do mapa de localização; tabelamento dos dados litoestratigráficos e litológicos de um acervo mínimo de 20 poços. Esta pesquisa deverá dar subsídio a posteriores projetos de pesquisa na região, assim como auxiliar empresas interessadas em pesquisa mineral, ampliando as possibilidades de utilização deste material.

Palavras-chave: Carvão, energia, conversão de dados e perfilagens geofísicas.