Pós-graduação em DeptoGeoquimica e Meio Ambiente:

O Curso de Pós-Graduação em DeptoGeoquimica e Meio Ambiente da UFBA - POSGEMA (anteriormente Curso de Pós-Graduação em Geociências), foi estruturado no Departamento de DeptoGeoquimica do Instituto de Geociências da UFBA, tendo sido inicialmente credenciado em 1976. Atualmente, conta com 03 (três) áreas de concentração: Pedologia, Geomorfologia e DeptoGeoquimica, esta última subdividida em Litogeoquímica/Prospecção DeptoGeoquimica e DeptoGeoquimica Ambiental. O enfoque do Curso, inicialmente voltado para a Prospecção DeptoGeoquimica e a Cartografia Geomorfológica ou Pedológica, foi modificado, passando a abordar principalmente questões de Meio Ambiente e de Litogeoquímica. A DeptoGeoquimica Ambiental, aliada à Pedologia e à Geomorfologia, prevê a consolidação do grupo através do desenvolvimento de pesquisas interdisciplinares. A ampliação dos estudos geoambientais deverá subsidiar trabalhos relacionados à caracterização, gestão, planejamento, monitoramento, bem como outras áreas de atuação relacionadas ao desenvolvimento ambiental e à melhoria da qualidade de vida. Para alcançar tais metas, foram enfocadas novas pesquisas sobre DeptoGeoquimica Ambiental e DeptoGeoquimica das alterações, envolvendo um grupo interdisciplinar com a participação de professores de outras unidades da UFBA e de outras Universidades do Estado da Bahia, além de universidades de outros Estados, que interagem com órgãos governamentais, como o CRA, IBAMA, IBGE, e com Organizações Não Governamentais, a exemplo do Grupo de Recomposição Ambiental - GERMEN, Grupo Ambientalista ARUANÃ de Simões Filho, Projeto Memorial Pirajá/Parque São Bartolomeu. Nos últimos anos, a equipe de pesquisadores do POSGEMA tem desenvolvido uma série de projetos, com o intuito de resolver problemas geoambientais em todo o Estado da Bahia. Entretanto, devido à forte vinculação de alguns professores com os estudos relacionados às zonas de manguezal, diversas pesquisas estão direcionadas para essa importante linha de pesqusa, em diferentes regiões do Estado, tais como: Manguezais da Baía de Camamu (Região do Baixo Sul), do estuário do rio Itanhém (município de Alcobaça, no Extremo Sul) e dos estuários dos rios Joanes, Jacuípe e Sauípe (Litoral Norte). Todos esses projetos, originados da preocupação com as condições ambientais dos manguezais, têm recebido financiamentos expressivos, como parte do apoio dado por diversos organismos, dentre os quais a Secretaria do Planejamento, Ciência e Tecnologia do Estado da Bahia (SEPLANTEC), através do CADCT; Conselho Nacional de Pesquisas (CNPq); MMA/FNMA e UNESCO. Vale ressaltar ainda o intercâmbio entre o POSGEMA e Universidades Federais, a exemplo da UFPE, UFC, UFF, UFRN, UFOP, bem como com outros organismos, como CETEM/CNPq, UNESCO e Universidades do exterior, no intuito de realizar estudos geoambientais comparativos e desenvolver intercâmbios científicos. A linha de Litogeoquímica/Prospecção DeptoGeoquimica, que se ocupa do estudo da gênese das rochas ígneas e metamórficas, tem contribuído de forma expressiva para a compreensão da evolução geológica do Estado da Bahia, particularmente no que diz respeito à pesquisa de bens minerais utilizáveis pela sociedade. Com o avanço dos conhecimentos sobre estas rochas, além dos objetivos econômicos visando a prospecção e exploração mineral, esta área da geoquímica tem se preocupado com a evolução global do planeta, em particular no tocante à evolução geoquímica do manto e crosta continental. O entrosamento dos pesquisadores associados a essa linha de pesquisa, com organismos governamentais (CBPM, DNPM, SGM, etc.), bem como com outras Universidades do país e do exterior, tem auxiliado substancialmente no desenvolvimento de projetos e consequentemente na expressiva produção científica obtida. Ao mesmo tempo, os professores que se ocupam das pesquisas que enfocam a litogeoquímica e prospecção geoquímica, têm procurado ampliar o grupo de pesquisadores, sendo comuns os estágios de pós-doutoramento ou mesmo o cumprimento de programas do tipo bolsa "sandwiche" em Universidades da Europa, notadamente da França. Deve-se ressaltar ainda que esse grupo tem sido convidado para participar da execução de mapas temáticos, por organismos ligados ao Governo da Bahia e outras entidades financiadoras. O Curso espera, com a implantação de novos convênios, a exemplo daquele que ora está sendo assinado envolvendo órgãos federais, estatais (PETROBRAS, MMA/FNMA, IBAMA, DNPM, DNOCS, IBGE, CNPq, FINEP, PADCT, CADCT, CRA, CBPM, SGM, etc.), e diversas outras entidades (WWF, UNESCO, etc.), poder desenvolver pesquisas e dotar seus laboratórios de equipamentos cada vez mais atualizados. Além disso, prevê-se ainda a formação e a fixação de pessoal competente, para dar continuidade às atividades de ensino, pesquisa e extensão, as quais devem ser ampliadas e tornadas rotineiras. O atendimento a essas necessidades, com a conseqüente melhoria das condições de trabalho, implicará no aumento da produção científica, permitindo, assim, a implantação do Curso de Doutorado. Consta da produção científica do corpo docente e discente, a publicação de trabalhos científicos em periódicos e em congressos, distribuídos da seguinte forma, conforme o tipo de publicação:

  • 10 (dez) foram publicados em periódicos nacionais (artigo em jornal ou revista);
  • 07 (sete) em periódicos internacionais;
  • 70 (setenta) em anais de congressos nacionais;
  • 07 (sete) em anais de congressos internacionais;
  • 03 (três) livros e 02 (dois) capítulos de livros;

Em 1999 foram concluídas 07 (sete) teses, dentro das seguintes linhas de pesquisa do POSGEMA:

  • DeptoGeoquimica Ambiental: caracterização, diagnósticos e monitoramento de ambientes exógenos.
  • DeptoGeoquimica dos Isótopos e das Alterações: caracterização, distribuição e análise dos isótopos; mobilização dos elementos no ambiente exógeno; caracterização, distribuição e análise de solos e lateritas.
  • DeptoGeoquimica Fundamental: estudos de geoquímica analítica; correlação geoquímica; hidrogeoquímica; geoquímica dos oceanos; prospecção geoquímica; geomorfologia e a influência da morfogênese nos processos intempéricos, todos voltados para a conservação e preservação do meio ambiente.
  • Litogeoquímica: geoquímica de rochas ígneas, sedimentares e metamórficas; cristaloquímica; processos intempéricos primários e geoquímica do metamorfismo.

O Curso de Pós-Graduação em DeptoGeoquimica e Meio Ambiente continua participando ativamente, com o seu quadro de professores (permanentes, participantes, visitantes), no ensino de disciplinas da Graduação (atividades extracurriculares e extraclasse) e orientação de bolsistas oriundos dos Programas PIBIC, PET, IC, Monitoria, Bolsa de Trabalho, etc.