TESTE NOVA PAGINA

.

MATOS (ROSEIRA), Joaquim Francisco de (Cachoeira, Ba., ca. 1792 - ZapfDingbats">ÔÄœ Salvador, Ba. 06/09/1865)

(Arquivo da C√ļria. √ďbitos Santo Antonio Al√? ©m do Carmo 1851 – 1866 [26 jun. 1851 – 19 jul. 1866]. 342 fls), f.320.)

(Fig. 312)

Ofícios: Entalhador (Mestre) (Perito) - (Fonte 4, p. 125)

Período de atividade documentada:

1818-1820, 1824-1825,1829, 1832, 1833, 1834, 1836-1837,1838, 1839-1841, 1843, 1845, 1846,1847-1848,1849, 1850, 1851

Assinaturas:

O acréscimo do nome (Roseira) de que fala Marieta Alves não se justifica apenas no surto nativista, mas no facto deste entalhador ter lutado na guerra da independência da Bahia conforme nos indica o Almanaque de 1862, que traz à frente do nome do artista, uma cruz e as iniciais G. I, que querem dizer, segundo notas do próprio Almanaque, que o artista foi agraciado com a Medalha da Guerra da Independência? (Bahia). (ALMANAK, 1862, p. 404).

O autor das "No√ß√Ķes" refere-se ao seu estilo como "floreado, abundante, belo e pomposo", embora confunda o nome dando-o como Joaquim Henriques de Matos. Teve como disc√≠pulos: Joaquim Ventura e Cipriano Francisco de Sousa (BN-RJ, No√? ß√Ķes sobre a proced√™ncia...,s/d,, p. 15)

Declarou √ Mesa da Irmandade do Sant√? ≠ssimo Sacramento da Rua do Passo em 1849 ser possuidor de v√°rios bens. (AISSRP. Livro de Termos... da Irm. SS. Sac. Rua do Passo, 19.07.1846-23.08.1891, f. 13)

Nomeando-lhe de Joaquim Henriques de Mattos o autor das "No√ß√Ķes" apresenta-o como "reconstructor do retabulo da capella-m√≥r da igreja notavel e afamada do Bomfim, da capela de S. Joaquim do Noviciado, da igreja matriz de N¬™. S¬™. do Pilar, e outras" (BN-RJ. Sec√? ß√£o de Manuscritos. No√? ß√Ķes sobre a proced√™ncia da arte de pintura na Prov√? ≠ncia da Bahia. s/a, s/d, s/l. 16 f. , f. 15).

Endere√ßo comercial: Em 1844, era o √ļnico entalhador citado no Almanach, estabelecido √ Rua direita do Pal√? °cio (ALMANACH, 1844, p.237). Em 1854 e 1855 consta sua localiza√ß√£o na Rua da Poeira (ALMANAK, 1854, p. 315 e 345)

Participação em concorrência:

Em 17 de Abril de 1853, participou de concorr√™ncia, apresentando proposta √ Irmandade do Sant√? ≠ssimo Sacramento e Nossa Senhora da Vit√? ≥ria, para fazer a obra de talha da igreja. (CARVALHO, 1971, p. 9)

O acréscimo do nome (Roseira) de que fala Marieta Alves não se justifica apenas no surto nativista, mas no facto deste entalhador ter lutado na guerra da independência da Bahia conforme nos indica o Almanaque de 1862, que traz à frente do nome do artista, uma cruz e as iniciais G. I, que querem dizer, segundo notas do próprio Almanaque, que o artista foi agraciado com a Medalha da Guerra da Independência? (Bahia). (ALMANAK, 1862, p. 404).

O autor das "No√ß√Ķes" refere-se ao seu estilo como "floreado, abundante, belo e pomposo", embora confunda o nome dando-o como Joaquim Henriques de Matos. Teve como disc√≠pulos: Joaquim Ventura e Cipriano Francisco de Sousa (BN-RJ, No√? ß√Ķes sobre a proced√™ncia...,s/d,, p. 15)

Declarou √ Mesa da Irmandade do Sant√? ≠ssimo Sacramento da Rua do Passo em 1849 ser possuidor de v√°rios bens. (AISSRP. Livro de Termos... da Irm. SS. Sac. Rua do Passo, 19.07.1846-23.08.1891, f. 13)

Nomeando-lhe de Joaquim Henriques de Mattos o autor das "No√ß√Ķes" apresenta-o como "reconstructor do retabulo da capella-m√≥r da igreja notavel e afamada do Bomfim, da capela de S. Joaquim do Noviciado, da igreja matriz de N¬™. S¬™. do Pilar, e outras" (BN-RJ. Sec√? ß√£o de Manuscritos. No√? ß√Ķes sobre a proced√™ncia da arte de pintura na Prov√? ≠ncia da Bahia. s/a, s/d, s/l. 16 f. , f. 15).

Endere√ßo comercial: Em 1844, era o √ļnico entalhador citado no Almanach, estabelecido √ Rua direita do Pal√? °cio (ALMANACH, 1844, p.237). Em 1854 e 1855 consta sua localiza√ß√£o na Rua da Poeira (ALMANAK, 1854, p. 315 e 345)

Participação em concorrência:

Em 17 de Abril de 1853, participou de concorr√™ncia, apresentando proposta √ Irmandade do Sant√? ≠ssimo Sacramento e Nossa Senhora da Vit√? ≥ria, para fazer a obra de talha da igreja. (CARVALHO, 1971, p. 9)

Obras atribuídas:

Nomeando-lhe de Joaquim Henriques de Mattos o autor das No√? ß√Ķes (BN-RJ, No√? ß√Ķes sobre a proced√™ncia...,s/d, f. 15) apresenta-o como “reconstructor do retabulo da capella-m√≥r da igreja notaval e afamada do Bonfim, da capela de S.Joaquim do Noviciado, da igreja matriz de N¬™.S¬™. do Pilar, e outras”.

Obras atribuídas:

Nomeando-lhe de Joaquim Henriques de Mattos o autor das No√? ß√Ķes (BN-RJ, No√? ß√Ķes sobre a proced√™ncia...,s/d, f. 15) apresenta-o como “reconstructor do retabulo da capella-m√≥r da igreja notaval e afamada do Bonfim, da capela de S.Joaquim do Noviciado, da igreja matriz de N¬™.S¬™. do Pilar, e outras”.

Assinatura grafada com Matos – (Termo de sess√£o da Mesa da Ordem Terceira de S√£o Francisco)

Assinatura lavrada com Matos Roseira - (Termo de contrato com a Ordem 3ª de São Francisco, 6 de Outubro, 1850)

Dados biogr√°ficos:

Pardo. Faleceu de “molestia interna”, com 83 anos, vi√ļvo de Margarida da Fran√? ßa Burgos, morador ao rio das tripas, em caza do Proffessor Antonio √Ālvares dos Sanctos, “envolto em habito preto secular sepultado no Cemiterio da Quinta em carneiro da Concei√? ß√£o do Boqueir√? £o”. (Arquivo da C√ļria. √ďbitos Santo Antonio Al√? ©m do Carmo 1851 – 1866 [26 jun. 1851 – 19 jul. 1866]. 342 fls, f.320.)

Filho de pai desconhecido e Francisca Teresa de Jesus, Casou-se com Margarida Maria da Concei√? ß√£o, em 3 de Junho de 1824, tendo como testemunha o ourives Jo√? £o Francisco Cobra. "Como tantos baianos o fizeram J.F.M. juntou o apelido "Roseira" a seu nome, em consequ√™ncia do surto nativista que se seguiu √ guerra da Independ√™ncia? ". (ALVES, 1976, p. 110).

O acréscimo do nome (Roseira) de que fala Marieta Alves não se justifica apenas no surto nativista, mas no facto deste entalhador ter lutado na guerra da independência da Bahia conforme nos indica o Almanaque de 1862, que traz à frente do nome do artista, uma cruz e as iniciais G. I, que querem dizer, segundo notas do próprio Almanaque, que o artista foi agraciado com a Medalha da Guerra da Independência? (Bahia). (ALMANAK, 1862, p. 404).

O autor das "No√ß√Ķes" refere-se ao seu estilo como "floreado, abundante, belo e pomposo", embora confunda o nome dando-o como Joaquim Henriques de Matos. Teve como disc√≠pulos: Joaquim Ventura e Cipriano Francisco de Sousa (BN-RJ, No√? ß√Ķes sobre a proced√™ncia...,s/d,, p. 15)

Declarou √ Mesa da Irmandade do Sant√? ≠ssimo Sacramento da Rua do Passo em 1849 ser possuidor de v√°rios bens. (AISSRP. Livro de Termos... da Irm. SS. Sac. Rua do Passo, 19.07.1846-23.08.1891, f. 13)

Nomeando-lhe de Joaquim Henriques de Mattos o autor das "No√ß√Ķes" apresenta-o como "reconstructor do retabulo da capella-m√≥r da igreja notavel e afamada do Bomfim, da capela de S. Joaquim do Noviciado, da igreja matriz de N¬™. S¬™. do Pilar, e outras" (BN-RJ. Sec√? ß√£o de Manuscritos. No√? ß√Ķes sobre a proced√™ncia da arte de pintura na Prov√? ≠ncia da Bahia. s/a, s/d, s/l. 16 f. , f. 15).

Endere√ßo comercial: Em 1844, era o √ļnico entalhador citado no Almanach, estabelecido √ Rua direita do Pal√? °cio (ALMANACH, 1844, p.237). Em 1854 e 1855 consta sua localiza√ß√£o na Rua da Poeira (ALMANAK, 1854, p. 315 e 345)

Participação em concorrência:

Em 17 de Abril de 1853, participou de concorr√™ncia, apresentando proposta √ Irmandade do Sant√? ≠ssimo Sacramento e Nossa Senhora da Vit√? ≥ria, para fazer a obra de talha da igreja. (CARVALHO, 1971, p. 9)

Obras atribuídas:

Nomeando-lhe de Joaquim Henriques de Mattos o autor das No√? ß√Ķes (BN-RJ, No√? ß√Ķes sobre a proced√™ncia...,s/d, f. 15) apresenta-o como “reconstructor do retabulo da capella-m√≥r da igreja notaval e afamada do Bonfim, da capela de S.Joaquim do Noviciado, da igreja matriz de N¬™.S¬™. do Pilar, e outras”.

Obras documentadas:

1 - Irmandade de N. Sr. Bom Jesus do Bonfim

1818-1820 : Constru√? ß√£o de ret√°bulo da igreja - 1:082$365 rs. (OTT, 1979b, p. 148)

1824-1825 : 5 cruzes novos para os altares - 21$600 e 87$000 por? castiçaes que fes novos e concertos? e 87? castiçaes que fes os pés novos e concertos?. (OTT, Carlos. Joaquim Francisco de Matos Rozeira. Ficha avulsa datilografada. Salvador: Centro de Estudos Baianos/UFBA. 30 fichas); fatura de 19 castiçais novos - 60$000 rs. (OTT, 1979b, p. 154)

1836 – 1837 : Fatura de 6 quadros grandes para a sacristia - 400$000 rs. (OTT, 1979b, p. 158)

1839 Р1840 : Fez 34 molduras em talha para os painéis dos corredores - 680$000 rs. (OTT, 1979b, p. 159)

2 - Irmandade do S. Sacramento da Matriz do Pilar

29/10/1829 : Fatura do ret√°bulo e forro do arco cruzeiro para dentro da Capela-mor - 4:500$000 rs. (AISSMP. Livro de Termos... da Irm. SS. Sac. da Matriz do Pilar, 03.10.1798-22.07.1906., f. 31)

06/10/1832 : Fatura do arco cruzeiro , renovação dos quatro painéis dos lados do mesmo arco, factura de novas sobre portas, fatura de duas credencias para os lados do altar-mor e o novo forro da capela-mor - 3:000$000 rs, (AISSMP. Livro de Termos... da Irm. SS. Sac. da Matriz do Pilar, 03.10.1798-22.07.1906., f. 32v.)

18/10/1833 : Fatura de quatro pain√©is para os lados do arco cruzeiro e mais quatro para dentro da capela-mor, uma cornija larga para acrescentar a do forro, outra para o lugar onde divide o azulejo do presbit√©rio, ao altar da capela-mor, 4 tocheiros novos, e mais enfeites que se tornar√° com eles mais brilhante a obra acabada e mais duas figuras (a F√© e a Raz√? £o) para os lados das colunas - 1:000$000 rs. (AISSMP. Livro de Termos... da Irm. SS. Sac. da Matriz do Pilar, 03.10.1798-22.07.1906., f. 33v.)

02/09/1834 : A Mesa da Irmandade foi orientada pelo entalhador e o pintor Jos√? © Te√? ≥filo de Jesus, sobre a propor√ß√£o da nova imagem do Senhor do Bom Caminho, visto a antiga na ter as devidas propor√ß√Ķes para o novo altar-mor, que acabavam de dourar. (AISSMP. Livro de Termos... da Irm. SS. Sac. da Matriz do Pilar, 03.10.1798-22.07.1906., f. 35)

08/09/1838 : Talha dos quatro altares da nave - 3200$000 rs., pagos semanalmente. (AINSPPC, Livro de termos da Irm. de N.Sra. do Ros√? °rio das Portas do Carmo 01.03.1863-03.11.1878, f. 38v.)

01/09/1839 : Talha da nave: seis tribunas da Igreja, dois p√ļlpitos e batist√©rio, onze pain√©is, quatro portas e o coro com seus ornatos respectivos - 2000$000 rs. pagos semanalmente. (AISSMP. Livro de Termos... da Irm. SS. Sac. da Matriz do Pilar, 03.10.1798-22.07.1906., f. 39v.)

1839 – 1841 : Pagamento do restante da obra de talha - 2000$000 rs. e 152$000 rs. de gratifica√ß√£o por acabar as obras dentro do prazo e 10$000 rs por 4 flor√Ķes para as l√Ęmpadas. (OTT, 1979, p. 135)

1839 Р1841 : Fatura dos caixilhos das vidraças para as janelas do salão - 200$000 rs. (OTT, 1979a, p. 135)

3 – Ordem Terceira do Carmo

19/07/1830 : Retabulo de madeira de cedro por cima do caix√£o da Sacristia da Veneravel Ordem 3. do Carmo - 50$000

12/06/1831 : ?resto de 150$000 por que fez o retabulo do Nixo da Sacristia? - 100$000

(OTT, Carlos. Joaquim Francisco de Matos Rozeira. Ficha avulsa datilografada. Salvador: Centro de Estudos Baianos/UFBA. 30 fichas)

4 - Ordem Terceira de N. Sra. da Concei√? ß√£o do Boqueir√? £o

1836 : Obra de talha das varandas da capela-mor - 480$000 rs. (OTT, 1979b, p. 246)

5 – Col√? ©gio de S√£o Joaquim

3/08/1836 : ?dous caixilhos para os dous retratos de Pedro Rodrigues Bandeira, e Jos√? © Antonio Rodrigues Viana? - 18$000 (OTT, Carlos. Joaquim Francisco de Matos Rozeira. Ficha avulsa datilografada. Salvador: Centro de Estudos Baianos/UFBA. 30 fichas)

6 - Irmandade do Sant√? ≠ssimo Sacramento da Freguesia da Rua do Passo

1847 – 1848 : " primeiro pagamento da obra de talha" - 1:666$000 rs. (OTT, Carlos. Joaquim Francisco de Matos Rozeira. Ficha avulsa datilografada. Salvador: Centro de Estudos Baianos/UFBA. 30 fichas)

30/01/1848 : Ret√°bulo da capela-mor, 2 varandas corridas no lugar das tribunas, remates das duas portas colaterais, remates e enfeites do forro, √≥culos - 5:000$000, pagos em tr√™s presta√ß√Ķes iguais, sendo a primeira no come√ßo da obra, a segunda no meio e a √ļltima no final. (AISSRP, Livro de Termos da Irm. SS. Sacr. Freg. da Rua do Passo 19.07.1846-23.08.1891,, f. 7-9.).

7 - Ordem Terceira de S√£o Francisco

1843 : Fatura de 40 jarrinhas para o trono, 2 para o presbitério e 2 credências.

11/06/1845 : Obra de talha da Casa dos Santos: 23 nichos - 70$000rs. cada; remate das duas janelas do fundo e as duas da entrada e igualmente das portas de entrada e lateral para o corredor, tendo as duas janelas do fundo suas guarni√ß√Ķes dos lados - 12$000rs. cada janela e porta; Prazo de nove meses.

06/10/1845 : Recebeu o primeiro pagamento da obra da Casa dos Santos - 336$400 rs. (OTT, Carlos. Joaquim Francisco de Matos Rozeira. Ficha avulsa datilografada. Salvador: Centro de Estudos Baianos/UFBA. 30 fichas)

25/04/1846 : Fatura dos nichos da Casa dos Santos - 336$000 rs. (AOTSF.Recibo de Joaquim Francisco de Matos √ Ordem Terceira de S. Francisco, 25.04.1846,, 17.07.1864-23.06.1878)

21/03/1846 : Recibo de 336$400 rs. referente a talha da Casa dos Santos. (AOTSF. Recibo de Joaquim Francisco de Matos Roseira √ Ordem Terceira de S. Francisco, 21.03.1846)

25/04/1846 : Recibo de 336$000 rs. referente a talha da Casa dos Santos. (AOTSF. Recibo de Joaquim Francisco de Matos √ Ordem Terceira de S. Francisco, 25.04.1846)

Abril, 1849 : √ļltimo pagamento das obras da Casa dos Santos - 336$800 rs.

14/06/1849 : Fatura de dois nichos mais que se aprontaram para a Casa dos Santos - 140$000 rs. (OTT, Carlos. Joaquim Francisco de Matos Rozeira. Ficha avulsa datilografada. Salvador: Centro de Estudos Baianos/UFBA. 30 fichas)

06/10/1850 : Fatura do forro da Casa dos Santos conforme a planta que apresentou - 300$000rs. Pazo de entrega: √ļltimo dia do m√™s de Fevereiro de 1851 (AOTSF. Livro 3¬ļ de Termos.... da Ordem Terceira de S. Francisco, 04.10.1809-18.12.1877,, f. 233v.-234)

1851: Recebeu a gratificação da Ordem, no valor de 400$000 rs. (OTT, Carlos. Joaquim Francisco de Matos Rozeira. Ficha avulsa datilografada. Salvador: Centro de Estudos Baianos/UFBA. 30 fichas)

18/12/1850 : Recibo de 100$000 referente a talha da Casa dos Santos. (AOTSF. Recibo de Joaquim Francisco de Matos Roseira √ Ordem Terceira de S. Francisco, 18.12.1850,)

8 - Casa Pia e Col√? ©gio dos √ďrf√£os de S√£o Joaquim

31/08/1836 : Fatura de dois caixilhos para os dois retratos de Pedro Rodrigues Bandeira e Jos√? © Antonio Rodrigues Viana - 18$000 rs. (ACPOSJ, Receita e Despesa 1834-1839, fo. 17 r.)

9 - Irmandade do Sr. dos Passos da Igreja de N. Sra. da Ajuda

1/08/1841 : novo trono da igreja da Ajuda

24/04/1842 : Contratado para fazer o novo altar-mór pela quantia de 1.200$000rs.

30/09/1842 : ?segundo pagamento da obra do retabulo da Capela Mor” - 400$000rs

10/12/1842 : Recebeu 374$000, ?a saber 350$000, importancia do terceiro pagamento do retabulo e trono, e os restantes acrescimos dos remates das portas, e molduras que guarnesse os azulejos?.

14/05/1843 : ?deu-se Portaria ao novo Thesoureiro Jos√? © Joaquim do Sacramento para fazer as despesas de costume, assim como para mandar fazer dous altares collateraes que for√£o hoje contractados com o Mestre entalhador Joaquim Francisco de Matos Rozeira, ambos pela quantia de 600$000 reis?. (OTT, Carlos. Joaquim Francisco de Matos Rozeira. Ficha avulsa datilografada. Salvador: Centro de Estudos Baianos/UFBA. 30 fichas)

24/10/1845 : Fatura de 8 casti√ßais, uma cruz e 4 jarrinhas para o altar do Senhor da Salva√? ß√£o da Capela de N. Sra. da Ajuda - 37$000 rs. (ACPOSJ, Receita e Despesa 1834-1839, fo. 17 r.)

Imagens das obras principais:

Figura 2 Ret√? °bulo-mor da Igreja da O. 3¬™ do Sant√? ≠ssimo Sacramento e N. Sra do Pilar – Salvador – Bahia.

Figura 1 Talha do interior da igreja da Ordem Terceira do Sant√? ≠ssimo Sacramento e N. Sra. do Pilar – Salvador – Bahia.

Figura 3-4- Ret√? °bulo-mor da Igreja do Sant√? ≠ssimo Sacramento da Rua do Passo, Salvador, Bahia.

Figura 5 - Igreja do Col√? ©hgio dos √ďrf√£os de S√£o Joaquim, Salvador, Bahia.

Figura 7 - Casa dos Santos da Ordem Terceira de S√£o Francisco, Salvador, Bahia.

Figura 6 - Casa dos Santos da Ordem Terceira de S√£o Francisco, Salvador, Bahia

Referências:

AINSPPC, Livro de termos da Irm. de N.Sra. do Ros√? °rio das Portas do Carmo 01.03.1863-03.11.1878.

ALMANACH civil político e comercial da Cidade da Bahia para o ano de 1845. Salvador:Typ. De M.A. da S. Serva, 1844. 447p.

ALMANAK administrativo mercantil, e industrial da Bahia , para o anno de 1855. Primeiro anno. Bahia: Typ. de Camillo de Lellis ALMANAK & C., 1854. 348 p. il.

ALMANAK Administrativo, mercantil e industrial da Bahia , 1862. Bahia: Typ. de Camillo de Lellis ALMANAK & C., 562 p. il.

ALVES, Marieta. Dicion√°rio de artistas e art√≠fices na Bahia. Salvador: Universidade Federal da Bahia,Centro Editorial e Did√? °tico, N√ļcleo de Publica√? ß√Ķes, 1976. 200 p.

ALVES, Marieta. Hist√≥ria da Vener√? °vel Ordem 3¬™. Da Penit√™ncia? do Ser√? °fico Pe. S√£o Francisco da Congrega√? ß√£o da Bahia. Salvador: Oficinas Gr√? °ficas da Imprensa Nacional, 1948. 431 p. Il.

AOTSF. Livro 3¬ļ de Termos.... da Ordem Terceira de S. Francisco, 04.10.1809-18.12.1877.

AOTSF. Recibo de Joaquim Francisco de Matos √ Ordem Terceira de S. Francisco, 25.04.1846.

AOTSF. Recibo de Joaquim Francisco de Matos Roseira √ Ordem Terceira de S. Francisco, 18.12.1850.

Arquivo da Casa pia e Col√? ©gio dos √≥rf√£os de S√£o Joaquim - ACPOSJ, Receita e Despesa 1834-1839.

Arquivo da C√ļria Metropolitana de Salvador, Livro de √≥bitos da par√≥quia de Santo Ant√? īnio Al√? ©m do Carmo 1851-1866. 342 f.

Arquivo da Irmandade do Sant√? ≠ssimo Sacramento da Rua do Passo – AISSRP. Livro de Termos da Irm. SS. Sacr. Freg. da Rua do Passo, 19.07.1846-23.08.1891. ....f.

Arquivo da Irmandade do Sant√? ≠ssimo Sacramento e N. Sra. Do Pilar - AISSMP. Livro de termos de resolu√ß√Ķes e ac√≥rd√£os da irmandade do Sant√? ≠ssimo Sacramento da Matriz do Pilar 1799-1906 [ 03.10.1798-22.07.1906].

Arquivo da ordem Terceira de S√£o Francisco - AOTSF. Recibo de Joaquim Francisco de Matos √ Ordem Terceira de S. Francisco, 25.04.1846,, 17.07.1864-23.06.1878.

Arquivo da Ordem Terceira de S√£o Francisco - AOTSF. Recibo de Joaquim Francisco de Matos Roseira √ Ordem Terceira de S. Francisco, 21.03.1846.

Biblioteca Nacional – RJ. Sec√? ß√£o de Manuscritos. No√? ß√Ķes sobre a proced√™ncia da arte da pintura na Prov√? ≠ncia da Bahia, s/a, s/d, s/l. 16 f.

CARVALHO, Maria √āngela Moraes de. Igreja da Vit√? ≥ria vista atrav√©s de documentos de seu arquivo. Salvador: Mensageiro da F√©, 1971. 19 p. Il.

FREIRE, Luiz Alberto Ribeiro. A atividade art√≠stica do entalhador Joaquim Francisco de Matos Roseira. In Anais do XXIII Col√? ≥quio do Comit√™? Brasileiro de Hist√? ≥ria da Arte. 2004, Rio de Janeiro, BHA/UERJ/UFRJ, 2004.. p. 249-258.

FREIRE, Luiz Alberto Ribeiro. A talha de Joaquim Francisco de Matos Roseira. Revista da Bahia, Salvador, n¬ļ 40, 2005.1. p. 33-44 (Artes Pl√? °sticas). Dispon√? ≠vel em: http://www.fundacaocultural.ba.gov.br/04/revista%20da%20bahia/Artes%20Plasticas/atalha.htm

OTT, Carlos. Atividade artística da Ordem 3ª do Carmo da Cidade do Salvador e de Cachoeira (1640-1900). Salvador: Secretaria da Cultura e Turismo do Estado da Bahia/Fundação Cultural/EGBA, 1998. 249 p. il.

OTT, Carlos. Atividade art√≠stica nas igrejas do Pilar e de Sant'Ana da cidade do Salvador. Salvador: Faculdade de Filosofia e Ci√™ncias? Humanas/Centro Editorial e Did√? °tico da Universidade Federal da Bahia, 1979a. 393 p.

OTT, Carlos. Evolu√ß√£o das artes pl√°sticas nas igrejas do Bonfim, Boqueir√? £o e Sa√ļde? . Salvador: Universidade Federal da Bahia, Centro de Estudos Baianos, 1979b. 393p. (Cole√? ß√£o Frederico Edelweiss-II).

OTT. Carlos. Joaquim Francisco de Matos Rozeira. Ficha avulsa datilografada. Salvador: Centro de Estudos Baianos/UFBA – CEAB. 30 fichas sobre o entalhador Joaquim Francisco Rozeira.

P√äPE, Suzane Tavares de Pinho. A atividade do escultor Manoel Ignacio da Costa na cidade do Salvador. 1999.161f. Monografia (Especializa√? ß√£o Lato Sensu em Cultura Barroca) – Instituto de Filosofia, Arte e Cultura, Universidade Federal de Ouro Preto, Salvador.

PONTUAL, Roberto. Dicion√°rio das Artes Pl√? °sticas no Brasil. Rio de Janeiro: Civiliza√? ß√£o Brasileira, 1969. 559p.

QUERINO, Manoel Raymundo Querino. Artistas Bahianos, indica√ß√Ķes biogr√°ficas. Rio de Janeiro: Imprensa Nacional, 1909.

SILVA, Maria Concei√? ß√£o Barbosa da Costa e. O Montepio dos Artistas: Elo dos trabalhadores em Salvador. Salvador: Secretaria da Cultura e Turismo do Estado da Bahia/Funda√ß√£o Cultural, EGBA, 1998. 98 p. il.(Cole√? ß√£o Selo Editorial Letras da Bahia, 28)

.

DMQAB_-_logotipo.gif
Topic attachments
I Attachment Action Size Date Who Comment
gifgif DMQAB_-_logotipo.gif manage 12.5 K 24 Jul 2012 - 14:09 UnknownUser logotipo dmqab
Topic revision: r10 - 24 Jul 2012 - 15:13:26 - LuizFreire?
 
This site is powered by the TWiki collaboration platformCopyright &© by the contributing authors. All material on this collaboration platform is the property of the contributing authors.
Ideas, requests, problems regarding TWiki? Send feedback